Problemas de crescimento: o que eu posso fazer para ajudar a sua família?


Caso eu fosse fazer um ranking para ordenar os motivos principais pelos quais as pessoas me procuram como endocrinologista, certamente Problemas de Crescimento Infantil estaria entre os primeiros.

Esta é uma dificuldade encontrada por muitos pais que são surpreendidos em consultórios de pediatria com o diagnóstico cujo filho apresenta alterações muito significativas de crescimento, abaixo da curva estabelecida pela Organização Mundial da Saúde - “instrumento técnico para medir, monitorar e avaliar o crescimento de todas as crianças e adolescentes de 0 a 19 anos, independente da origem étnica, situação socioeconômica ou tipo de alimentação”. (Fonte 2)

O fato dessa condição gerar certa preocupação é perfeitamente normal e esperado já que segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), o crescimento é o maior sinal de que a criança está se desenvolvendo bem. Todos os outros são secundários.

Dito isto, há uma série de pressupostos analisados pelos médicos que indicam as condições de normalidade no crescimento de acordo com a faixa etária da criança. Eu vou resumi-las brevemente aqui para vocês e depois explico melhor como posso ajuda você e seu filho, caso estejam enfrentando esse desafio:

1 - o crescimento de um bebê já começa a ser aferido desde o útero materno e após o nascimento é analisado em conjunto com o peso até os 18 anos de idade. O modus operandi deste processo é anotar as referências em consultas médicas e compará-las com outras crianças do mesmo sexo e idade;

2 - diferente do que pode-se pensar, a maior fase de crescimento se dá na primeira infância, no decorrer do primeiro ano de vida - e não na puberdade como erroneamente ainda aparece no senso comum. Por isso a importância indispensável de acompanhamento mensal até o primeiro ano de vida e depois regularmente com o pediatra;;

3 - é esta a média de velocidade de crescimento de acordo a idade, segundo a SBP:

  • Nascimento até 01 ano de idade = 25 centímetros por ano.

  • 1 ano até 3 anos de idade = 12,5 centímetros por ano.

  • 3 anos até a puberdade = 5 a 7 centímetros por ano (meninas =8 a 10 centímetros ao ano; meninos = 10 a 12 centímetros ao ano).

4 - Cerca de 80% da estatura de um adulto é determinada pela média da estatura dos pais, ou seja, é fator genético. Os outros 20% estão relacionados à fatores externos que vou comentar logo mais.

Dito isto, eu sempre adianto isso com os pais que me procuram: é muito importante avaliar se há motivos genéticos responsáveis pelo problema de Baixa Estatura. Existem exames avançados hoje em dia para identificar se há ou não algum problema, e do que se trata.

Depois é vem que os motivos externos que podem alterar a idade óssea. Aqui o meu trabalho é mais intenso, porque os outros 20% são caracterizados por alterações hormonais, como, por exemplo:

obesidade: excesso de peso pode prejudicar o desenvolvimento natural da criança, alterando o crescimento. Um problema está relacionado ao outro e é preciso tratar os dois com paciência e persistência;

puberdade precoce ou atraso da puberdade: o início da mudança

de características sexuais e condições reprodutivas acontecem no momento certo. Qualquer alteração para além da margem esperada, precisa ser investigado;

hiperplasia adrenal congênita: síndrome congênita desenvolvida na região dos rins;

hipertireoidismo: excesso de hormônios da tireoide;

hipotireoidismo: deficiência na produção de hormônios;

excesso de glicocorticoide: classe de hormônios que afeta o metabolismo dos carboidratos.

Como se diz no popular, essa é a “minha praia”. Recebo muitos pacientes cujos pais estão aflitos e ansiosos para resolver o problema de crescimento de seus filhos e o meu primeiro conselho sempre é: cautela. Juntos nós podemos investigar, fazer os exames indicados e buscar o tratamento adequado, mas, mais importante do que tudo isso, é fazer com que seu filho se sinta seguro e amado. Não é e não precisa ser traumático. O que os nossos filhos mais precisam de nós é de tranquilidade, amor e segurança.

Esse é o ponto central e principal.

Estou à disposição para ajudar nesta e em outras necessidades que você e sua família estejam precisando. Coloco-me à disposição junto com a equipe da Alpha Saúde para cuidar de vocês. Ligue e converse com a nossa secretária ou agende aqui.

Até breve!

Fonte:

http://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/2016/09/CrescimentoVe8.pdf

http://dab.saude.gov.br/portaldab/ape_vigilancia_alimentar.php?conteudo=curvas_de_crescimento

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/crescimento_desenvolvimento.pdf

Dr. Mário Lhano - Endocrinologista e Metabologista CRM 101515, atende há mais de 10 anos e é especialista em dieta vegetariana.

Instagram: @dr.mariolhano

#crescimento #problemasdecrescimenti #hormôniodecrescimento

Posts Em Destaque
Posts Recentes