Por que mau hálito incomoda tanto? O que há por detrás dele?


Não tem jeito: mau hálito é uma realidade frequente e muito incômoda. Ninguém gosta de estar muito tempo na presença de alguém que sofra deste problema, é quase que instinto se afastar.

O problema é que geralmente quem tem mau hálito não consegue perceber o mau cheiro que exala e, por isso, ou alguém precisa avisar (e tem de ser alguém muito íntimo) ou a pessoa vai ter que perceber sozinha - talvez com a percepção de que os outros estejam se afastando. Acontece.

Antes de mais nada precisamos desmistificar uma ideia importante: apenas de 5 a 10% dos casos de mau hálito, ou halitose, acontece por razões sistêmicas, ou seja, por conta de algum problema no sistema digestivo. Na grande maioria das vezes, entre 90 e 95%, o desencadeador do cheiro ruim da boca é a língua. Esta é um órgão muscular revestido por papilas com terminações nervosas que são as grandes responsáveis por sentirmos gosto naquilo que ingerimos.

Quando não há higienização suficiente na boa, nos dentes e, principalmente, na língua, os vestígios de alimentos ficam ali armazenados e as bactérias entram em processo de fermentação, liberando enxofre: é daí que vem o cheiro ruim.

Segundo a Associação Brasileira de Halitose, 32% da população brasileira sofre com este problema (equivalente a 58 milhões de pessoas!) e como a boca é a grande responsável pelas causas do mau hálito, o cirurgião dentista é o indicado para resolver já que é ele quem trata da cavidade bucal, doenças na gengiva, cáries e, principalmente, das alterações significativas no trato da língua - que é o caso da chamada saburra lingual, aquela camada branco-amarelada formada na superfície da língua.

É este profissional também quem vai poder avaliar se há outros co-fatores relacionados ao problema bucal e buscar a interdisciplinaridade para resolver.

Embora a halitose possa ser de origem intra ou extrabucal, uma avaliação clínica minuciosa é capaz de detectar a presença de fatores associados à formação de compostos odoríferos relacionados à halitose. O tratamento deve ser baseado no combate à causa que determina a produção dos gases voláteis causadores do mau odor. Fonte 1.

Há, ainda, na literatura médica e odontológica que trata do assunto, muitas pesquisas que indicam os fatores sociais e psicológicos que este problema pode desencadear por conta das dificuldades pessoais dificultadas, gerando problemas preocupantes de qualidade de vida.

O Dr Ronaldo Lima Barbosa, cirurgião-dentista e mestre pela Universidade de São Paulo, USP, explica também porque o odor é mais forte quando acordamos:

Durante a noite, há menor produção de saliva e, portanto, maior fermentação e maior liberação de odores de enxofre. Por isso, o odor matinal é sempre mais forte do que outros tipos que ocorrem durante o dia. Fonte 2

No dia 21/05 vai acontecer um evento nacional o 5º Encontro Nacional de Halitose que vai tratar sobre a importância, a etiologia e o diagnóstico, no Ceará, com o tema: Halitose: Você está preparado para resolver?

Trata-se de uma questão de saúde pública e que envolve muito mais do que um simples tratamento bucal: trata sobre a vida em sociedade de gente que precisa de ajuda para resolver o problema e poder comunicar-se sem nenhum constrangimento.

Fonte:

https://www.abha.org.br/fique-por-dentro/5-encontro-brasileiro-de-halitose

https://drauziovarella.uol.com.br/entrevistas-2/mau-halito/

https://saude.abril.com.br/blog/cuide-da-sua-boca/o-que-esta-por-tras-do-mau-halito-e-como-se-livrar-dele/

#halitose #mauhálito #saúdebucal

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
No tags yet.
Siga
  • Facebook Basic Square

Copyright © 2006-2013 Alpha Saúde. Todos os direitos reservados. As informações deste site são de cunho informativo e não substitui o atendimento médico. As decisões sobre o tratamento devem ser orientadas por profissionais especializados.