A “menopausa” dos homens: existe?


Existe, sim. E chama-se Andropausa. Mas não costumamos ouvir falar sobre ela com tanta frequência quanto se fala em menopausa, no caso das mulheres.

Acontece mais ou menos no mesmo período de vida que das mulheres, entre 40 e 50 anos de idade, e se caracteriza basicamente pela diminuição progressiva de testosterona no sangue - o hormônio masculino responsável por regular o desejo sexual, ereção, produção dos espermatozóides e pela queda no desempenho da força muscular.

A definição do termo é andropausa, é esta: conjunto de alterações fisiológicas que marcam a diminuição natural e progressiva da atividade sexual do homem.

E ela fala por si mesma: é uma condição fisiológica, ou seja, todos os homens passam por este processo, seja um pouco antes da maioria ou um pouco depois.

Quando comparamos com a menopausa é importante lembrar que diferentemente desta, a andropausa não tem um marcador indicativo físico para este processo que no caso das mulheres é a interrupção definitiva do ciclo menstrual.

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), há pesquisas que indicam que a queda das testosterona pode, além dos sintomas que indicamos acima, acarretar, em certos casos, riscos de problemas sérios de saúde como doenças cardíacas e osteoporose.

Destaque especial sobre o que os homens precisam saber a respeito deste estágio da vida: muitas mudanças de comportamento, sentimentos e reações podem estar ligadas a esta alteração hormonal e não ser percebida. Endocrinologistas relatam ser muito comum neste período identificar pacientes que começam a questionar seus valores, planos de vida e perspectivas para o futuro - e que logo associam o problema a questões emocionais e psicológicas, sem cogitar tratar-se de uma alteração fisiológica.

Ainda segundo a SBEM:

Diferente da menopausa, que geralmente ocorre em mulheres entre 45 e 55 anos, a “transição” dos homens pode ser bem mais gradual e se estende por décadas.

Atitudes, estresse psicológico, álcool, acidentes, cirurgias, medicação, obesidade e infecções podem desencadeá-la.

Com a idade, o declínio nos níveis de testosterona vai ocorrer praticamente em todos os homens.

Não há maneira de predizer quem vai ter sintomas de andropausa com intensidade suficiente para procurar ajuda médica. (Fonte 1)

Exatamente pelos sintomas pode variar muito de um homem para outro, é indispensável a ajuda de um endocrinologista que vai avaliar os níveis do hormônio, através de exame de sangue, e então constatar se trata-se ou não de caso que necessitam de reposição hormonal.

Nestes casos, o tratamento pode ser feito via oral ou injeção mensal, necessidade que só o médico poderá avaliar. Esta reposição, no entanto, é contraindicada para homens com câncer de mama, de próstata ou de histórico na família de tais doenças.

Além disso, aqueles que fazem a reposição precisam avaliar com frequência se o tratamento não afetou a próstata.

Nosso recado da Alpha Saúde: é muito comum encontrar homens que têm dificuldade em aceitar fazer exames de rotina e/ou procurar orientação médica para identificar alterações de humor, desempenho sexual e força física.

No entanto, lembre-se que este não é problema só seu ou alguma dificuldade própria. É perfeitamente natural e quanto mais se demora para tratar e buscar auxílio médico, muito mais difícil fica para regularizar a situação e voltar a ter uma vida saudável.

Prevenção não tem contraindicação.

E nós da Alpha Saúde podemos te ajudar. Agende aqui a sua consulta.

Fonte:

https://www.endocrino.org.br/o-que-e-andropausa/

https://www.tuasaude.com/andropausa/

#homens #saúdemasculina #andropausa

Posts Em Destaque
Posts Recentes