Mente sã, corpo são: você sabe qual é o seu temperamento?


“Mente sã, corpo são”. O filósofo romano Juvenal, há milênios de anos, já dizia que o bom funcionamento da mente é fundamental para o bom funcionamento do corpo.

E não é preciso ir muito longe para confirmar essa realidade: você, certamente, conhece aquela sensação de bem estar e pré disposição física quando está se sentindo feliz, ou com alguma motivação ou ainda quando recebe uma boa notícia. Certo?

É bem verdade que quando a mente está livre de excessivas preocupações e anseios, o corpo responde bem a estes impulsos benéficos e se anima rapidamente.

Um estudo realizado pela Universidade de John Hopkins em 2015 e publicado pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas), comprova que a mesma proteína conhecida por atuar nas células neurológicas, desempenhando papel anti depressivo e estimulando a aprendizagem e memorização, também cumpre papel vital no músculo cardíaco.

A pesquisa ainda está em desenvolvimento e partirá para análises mais profundas acerca da aplicabilidade na medicina.

Até lá, nós podemos tratar um pouquinho de uma realidade muito antiga, que voltou a ser matéria de estudos na psiquiatria e que desperta a busca pelo autoconhecimento a todos o que têm acesso ao assunto: os quatro temperamentos humanos.

Você já ouviu falar?

Se sim, sabe que este é um assunto muito surpreendente, que ajuda a entender uma série de comportamentos nossos e de quem estamos próximos - e que nunca é demais saber sobre ele.

Se não, você com certeza vai se impressionar no modo como conhecer o seu temperamento pode lhe ajudar e entender a si mesmo, às suas tendências e ao seu modo de encarar o mundo.

Quer ver só? Então vamos para um breve resumo sobre o que são os temperamentos, quais são e as suas principais características:

O estudo dos temperamentos tem a sua origem na Antiguidade. Uma série de pensadores gregos e romanos já se dedicavam a entender as principais vias do comportamento humano e as suas relações, mas perdeu-se com o avanço da psicologia moderna.

Mas, como tudo que é bom não se perde totalmente, os estudos sobre o temperamentos mantiveram-se firme na tradição e voltou recentemente a se tornar objeto de pesquisa de diversas áreas do conhecimento, inclusive na medicina.

Temperamentos são realidades imutáveis, intransferíveis e concretas que estão presentes em todos os seres humanos. Ou seja, não se trata de algo mutável e socialmente construído como a personalidade ou o conhecimento, mas, sim, de matéria natural da mente humana.

Cada pessoa, mesmo com a sua individualidade própria, possui um temperamento que pode determinar muito de suas inclinações e personalidade. São eles:

Colérico: este é o temperamento associado ao elemento fogo - são pessoas com tendência natural à liderança, com certa facilidade para tomar decisões, que, no geral, são mais resistentes a mudar de ideia e que não costumam aceitar facilmente que contrariem suas decisões. São aquelas pessoas que comumente atribuímos a qualidade popular de “gênio forte”;

Sanguíneo: temperamento associado ao elemento ar - são as pessoas com facilidade nata para a comunicação. Pensam e agem melhor quando podem expressar seus sentimentos e pensamentos. São também, geralmente, muito entusiasmadas em seus projetos, dificilmente se abatem ou entristecem e têm maior pré-disposição para realizar ações em grupo. Por outro lado, tem dificuldade de se concentrar apenas em alguma coisa e de terminar o que começam. São aquelas que comumente chamamos de animados ou extrovertidos.

Fleumático: temperamento associado à água - são pessoas que conseguem controlar suas emoções, dificilmente entram em discussões ou brigas, conseguem facilmente encontrar ponto convergente e ajudar em concessões e não tem muita tendência a tomar iniciativa e liderar. São aquelas a quem chamamos de “calmas”, ou, na expressão mais popular que se pode dizer hoje, “de boa”.

Melancólico: temperamento associado à terra - são os mais sensíveis emocionalmente, mas, ao mesmo tempo, são pessoas que transmitem segurança porque são muito organizadas, precavidas e disciplinadas. São sensíveis às misérias alheias, atentas aos detalhes e tem facilidade de prever situações com base no que já conhecem. São minimalistas e a quem poderíamos chamar de sentimentais.

Atenção: as descrições acima estão completamente RESUMIDAS. Não se trata de uma análise ou um estudo aprofundado como estudiosos veem fazendo com muito afinco. São apenas observações gerais que orientam e ajudam àqueles que não conhecem o assunto a darem os primeiros passos neste magnífico campo do saber.

Muitas pessoas, quando se deparam com o assunto, costumam dizer que se identificam com dois ou mais temperamentos e aí tem dificuldade de se enquadrar em algum. Não é tão simples identificar o próprio temperamento porque muitos de nós fomos e somos acostumados a usar “máscaras” que inibem o nosso temperamento bem como a nossa capacidade de identificá-lo.

Além disso, essa associação aos 4 elementos é extensamente estudada e poderemos falar sobre ele mais pra frente aqui no blog. Por enquanto, trata-se de uma analogia dos temperamentos à sua extensão e modus na realidade material.

Esperamos que você tenha gostado. Quando temos acesso a esse tipo de informação valiosa podemos a entender a nós mesmos e ao modo como vemos o mundo. Isso ajuda a nossa mente a ficar em paz. E, como já dizia Juvenal há milênios atrás: mente sã, corpo são!

Fonte:

https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/estudo-da-explicacao-cientifica-ao-ditado-mente-sa-corpo-sao-15032978

http://comoeducarseusfilhos.com.br/os-4-temperamentos/

#temperamentos #saúdepsicológica #saúdepreventiva #saúde #vidasaudável #plenitude #autoconhecimento #autoestima

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
No tags yet.
Siga
  • Facebook Basic Square

Copyright © 2006-2013 Alpha Saúde. Todos os direitos reservados. As informações deste site são de cunho informativo e não substitui o atendimento médico. As decisões sobre o tratamento devem ser orientadas por profissionais especializados.