Um bom começo evita um mau final: a introdução alimentar desempenha papel fundamental para o crescim


É melhor prevenir, do que remediar. Fato conhecido. Agora, o que talvez muitas pessoas não saibam, ou ainda não tenham parado para pensar sobre, é que fazer escolhas certas quando ainda se é bebê podem evitar inúmeros problemas futuros para as crianças e adolescentes, inclusive, alterações de crescimento.

Uma dessas escolhas refere-se à introdução alimentar. Infelizmente, como retratado por nutrólogos e pediatras especializados, ainda são frequentes os erros cometidos pelos pais ou responsáveis nessa etapa e que podem acarretar sérios problemas futuros.

Como já dissemos aqui, são muitos os pais que nos procuram preocupados com os filhos que enfrentam problemas de crescimento, dificuldade de concentração, distúrbios hormonais e doenças crônicas como, por exemplo, diabetes e colesterol.

Por isso, separamos hoje algumas instruções muito importantes que devem ser levadas em consideração numa etapa inicial e primordial para o desenvolvimento das crianças: a introdução alimentar:

1 - segundo recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), é INDISPENSÁVEL a amamentação exclusiva até os seis meses, principal até um ano e complementar até dois anos de idade: até os seis meses não é necessário dar NADA além do leite materno, nem água, nem chá, nem suco, nada. O leite materno possui todas as propriedades necessárias para alimentar, hidratar e proteger contra infecções e alergias;

2 - mesmo nos casos em que a mulher não consiga amamentar, não é necessário adiantar a introdução alimentar. O leite de fórmula, complementado com água nos intervalos, é suficiente. É claro que, neste caso, pode-se pensar em adiantar um pouco, mas é comprovadamente prejudicial a introdução de qualquer alimento pelo menos até quatro meses e meio;

3 - até um ano de idade é preferencial dar a fruta inteira do que o suco, mas, de qualquer maneira, suco natural. Suco de caixinha contém muito açúcar e conservantes e comprometem a saúde do bebê;

4 - é recomendado que seja feita a introdução de um alimento por vez, pois, assim, é muito mais fácil e rápido identificar intolerâncias e alergias alimentares;

5 - não há necessidade de fazer comida totalmente sem tempero. Pode-se sim usá-los, desde que seja temperos naturais: salsinha, cebolinha, etc;

6 - nenhum farináceo é recomendado: nenhum. Nem bolacha, nem iogurtes. Haverá um tempo em que as crianças poderão comer isso mais livremente, introdução alimentar não é a hora.

O Brasil é um dos países com maior diversidade natural de alimentos: frutas, legumes, carnes, verduras, grãos, ervas. Tudo do bom e do melhor. É possível fazer uma introdução alimentar saudável, diversificada e com muito sabor sem apelar para industrializados repletos de açúcares, gorduras e conservantes.

Ademais, é sempre bom lembrar que alimentação está relacionada tanto à qualidade do sono, quanto ao desenvolvimento de doenças, e a qualidade do sono diretamente relacionado ao crescimento, como já vimos aqui no blog.

Uma coisa está relacionada a outra. Alimentação, sono, crescimento, saúde. Quando se faz boas escolhas a probabilidade de uma infância tranquila e sem intercorrências, é muito maior.

É fazer uma opção saudável hoje, para não ter problemas amanhã.

Porque a Alpha Saúde também pensa no seu futuro, e no futuro da sua família.

#alimentação #Introduçãoalimentar #crianças #maternidade

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
No tags yet.
Siga
  • Facebook Basic Square

Copyright © 2006-2013 Alpha Saúde. Todos os direitos reservados. As informações deste site são de cunho informativo e não substitui o atendimento médico. As decisões sobre o tratamento devem ser orientadas por profissionais especializados.