Vai viajar neste começo de ano? Fique de olho na febre amarela!


Você certamente têm acompanhado as notícias sobre a nova onda de contaminação de febre amarela. Os dados são preocupantes e, por isso, preparamos para você um material com as principais informações sobre esta doença, especialmente se você está programando viagem para as férias este mês de janeiro.

Vamos por etapas:

1 - O que é, exatamente, a febre amarela:

É uma doença hemorrágica viral aguda transmitida por mosquitos infectados pertencentes às espécies Aedes e Haemagogus. Dados da Organização Mundial da Saúde revelam que 34 países da África e 13 da América Central e do Sul possuem regiões endêmicas de febre amarela. E os dados sobre as mortes são ainda mais alarmantes: entre 29 e 60 mil por ano.

2 - Entenda como essa doença é transmitida:

Existem três tipos principais de transmissão, são eles:

a - Febre amarela silvestre (ou selvática): nas florestas tropicais, os macacos, que são o principal reservatório da febre amarela, são picados por mosquitos selvagens que passam o vírus para outros macacos. Ocasionalmente, os seres humanos que trabalham ou que viajam para a floresta são picados por mosquitos infectados e desenvolvem a doença;

b - Febre amarela intermediária: neste tipo de transmissão, os mosquitos semidomésticos (aqueles que se reproduzem tanto na natureza quanto em torno das famílias) infectam tanto macacos quanto pessoas. Este é o tipo mais comum de surto na África;

c - Febre amarela urbana: grandes epidemias ocorrem quando pessoas infectadas introduzem o vírus em áreas densamente povoadas com grande presença de mosquitos, e onde a maioria das pessoas tem pouca ou nenhuma imunidade. (FONTE).

ATENÇÃO: uma pessoa não transmite a doença diretamente para outra pessoa, nem o macaco. O responsável direto pela contaminação é o mosquito (Aedes ou Haemagogus).

3 - Veja como identificar os sintomas:

Eles aparecem repentinamente e são, na maioria das vezes, estes: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias.

De modo geral a doença não é grave, mas, nos casos em que se desenvolve mais agressivamente pode causar insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço. Nestes casos o paciente corre risco de morte, que pode acontecer entre 7 e 10 dias.

A grande maioria se recupera bem da doença e depois se torna imune, ou seja, não corre mais risco de pegar febre amarela novamente.

4 - Diagnóstico:

É difícil de identificara doença, por isso, geralmente, se faz o diagnóstico com base nos sintomas clínicos do paciente e, especialmente, pelo seu histórico de viagens (se o paciente foi para regiões onde há altos índices endêmicos da doença).

5 - Se for viajar para o exterior:

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), surtos da doença em diversos estados do Brasil como Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Bahia, fizeram com que o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP passasse a ser exigido por brasileiros que forem para países que na lista da Organização Mundial da Saúde não possuem exigência vacinal.

Ou seja, para viajar para estes países onde há maior risco de contaminação, é necessário apresentar o certificado atualizado com a vacina contra a febre amarela em no mínimo dez dias antes de viajar.

DICA: No site da ANVISA você encontra todo o passo a passo para retirar este certificado.

6 - Para viajar no Brasil, conheça as áreas consideradas de risco de contaminação da doença:

Norte

Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

Nordeste

Bahia, Maranhão e Piauí

Centro-Oeste

Goiás (incluindo Brasília - DF), Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

Sudeste

Espírito Santo, Minas Gerais (todos, incluindo Belo Horizonte) e São Paulo

Sul

Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina

7 - Prevenção:

A principal prevenção orientada pelo Ministério da Saúde é a vacinação.

Agora você já pode organizar a sua viagem com mais tranquilidade, certo?

Para começar 2018 com diversão e muita saúde! Contando sempre com a Alpha Saúde.

Boa viagem e cuide-se!

Fonte:

https://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/febre-amarela?gclid=CjwKCAiAsejRBRB3EiwAZft7sLnyGFdCHYmlSUex2uP0uPFkhsrkQLoudsOPARSEqyyNBVszgXjywRoCJj0QAvD_BwE

http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/quais-paises-exigem-vacina-de-febre-amarela-/219201?inheritRedirect=false

http://www.cives.ufrj.br/informacao/fam/fam-br.html


Posts Em Destaque
Posts Recentes