Obesidade infantil: 5 dicas para prevenir e cuidar


Segundo o IBGE 33% da população infantil do país é obesa (dado de 2016). A obesidade infantil é um fator de risco para desenvolvimento de diversas doenças e é resultado de aspectos genéticos, ambientais e comportamentais. Na maioria das vezes o ganho de peso está ligado à falta de balanço entre a quantidade de calorias dos alimentos ingeridos e o gasto energético dessa ingestão. Porém, pode também estar associada também a distúrbios orgânicos que provocam o aumento involuntário do peso.

A obesidade é classificada através do cálculo do IMC (Índice de Massa Corpórea) com diferentes classificações para meninos e meninas de acordo com cada idade. No entanto ter um IMC recomendado não significa necessariamente ser completamente saudável. As crianças que possuem um IMC recomendado mas não se alimentam bem, correm o mesmo risco de desenvolver doenças relacionadas à má alimentação e falta de exercícios.

Listamos cinco dicas para você aprender como lidar com essa situação e incentivar seu filho, sobrinho, neto ou a criança que você tem em casa a ter um estilo de vida melhor. Então, vamos lá. Qual a melhor maneira de resolver isso?

1) Consulte um(a) especialista

É importante consultar um endocrinologista para entender como está o funcionamento do corpo da criança. Nem sempre a obesidade é decorrente apenas da má alimentação e falta de exercícios físicos. Alguns casos de obesidade podem estar ligados à alterações na tireóide ou outras doenças.

2) Foque na saúde

É muito comum a família passar para a criança uma pressão estética construída em cima do padrão de beleza atual imposto pela mídia. A criança não precisa perder peso para ficar dentro desses padrões, ela precisa ficar saudável. Ser magro não é sinônimo de ser saudável. Incentive a criança a estar bem consigo mesma e mostre a importância de ser saudável no dia a dia ou como ser saudável pode ser gostoso também.

3) Cuide do psicológico da criança

As crianças com obesidade costumam sofrer bullying nos ambientes em que frequentam. Tão essencial quanto cuidar do corpo, é cuidar da mente dos pequenos para que eles entendam que não são estranhos ou feios. Dialogue! Fale sobre aceitação, sobre todos termos diferentes corpos e que todas as pessoas são bonitas. Além disso, se existir compulsão alimentar, procure um psicólogo/terapeuta para entender quais são os motivos. Um problema emocional, ansiedade ou algum evento traumático pode ter desencadeado essa compulsão.

4) Dobradinha de sucesso

Alimentação e exercício físico são dois aliados essenciais no processo de perda de peso. Opte por um cardápio com menos industrializados, geralmente eles possuem baixo teor nutritivo e alto teor calórico. Para as crianças, a aparência da comida também é crucial. O contato visual é o primeiro que ela terá com o alimento, além de saudável e saborosa a comida precisa ser visualmente atrativa. Não existe segredo ou receita milagrosa, refeições balanceadas e exercícios são a combinação que trará resultados práticos na perda de peso.

Já os exercícios físicos precisam se encaixar no gosto da criança. As possibilidades são inúmeras, desde esportes coletivos até atividades individuais como: esportes aquáticos, dança, jogos e por aí vai.

5) Seja parceiro da criança

Não adianta a criança ter um prato separado em que ela terá que comer uma comida diferente do resto da família. O ideal é todos compartilharem a mesma refeição, afinal, comendo uma comida diferente da criança será difícil convencê-la de que é possível ter uma alimentação saudável e ao mesmo tempo saborosa. Além disso, converse! Escute a criança, como ela está lidando com o processo e o que está desconfortável pra ela. Muitas vezes a própria criança pode ajudar com soluções para o que ela está achando ruim.

Estilo de vida x Dieta

É fácil cair na ilusão de que apenas uma dieta resolverá o problema. A criança precisa adotar esse estilo de vida para se manter longe dos problemas de saúde. A família precisa se preparar para viver uma rotina que inclua as práticas que levarão a criança a melhorar a saúde do corpo. “A criança com obesidade é como todas as outras. Ela precisa de uma rotina normal com alimentação saudável e balanceada, assim como todas as crianças precisam disso”, ressalta Dr. Mário Gonçalves Lhano, endocrinologista e metabologista.

Nós da Alpha Saúde estamos à disposição para auxiliar você e seus pequenos em todo o processo da construção de um estilo de vida mais saudável! Agende um horário com a gente e vamos conversar pessoalmente, será um prazer fazer parte desse novo estilo de vida da sua família.

#obesidade #infância #bulling #saúde #cuidado #peso

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
No tags yet.
Siga
  • Facebook Basic Square

Copyright © 2006-2013 Alpha Saúde. Todos os direitos reservados. As informações deste site são de cunho informativo e não substitui o atendimento médico. As decisões sobre o tratamento devem ser orientadas por profissionais especializados.